Fundação Apache investiga invasão a seus servidores

Via NotíciasLinux:
Nesta sexta-feira os servidores da fundação Apache apresentaram durante algumas horas uma página informando que estavam investigando um incidente em seus servidores.

Ao que parece, primeiro foi comprometido via SSH o servidor minotaur.apache.org, depois os arquivos foram replicados para o resto da infraestrutura, incluindo www.apache.org. Segundo a Apache a investigação continua e por enquanto não se tem conhecimento dos usuários finais afetados, ainda que recomendem sempre efetuar a verificação da assinatura dos arquivos. (via noticiaslinux.com.br)

Saiba mais (noticiaslinux.com.br).


Fonte: brlinux

Nova versão do Skype para Linux

Enviado por Frederico Madeira (fredΘmadeira·eng·br):
“Após quase dois anos sem atualizações no cliente para Linux do Skype, foi liberada esta semana a versão 2.1 do cliente Skype para desktop Linux, trazendo algumas funcionalidades que estava presentes apenas em clients de outras plataformas.

Seguem abaixo alguns exemplos das novas funcionalidades:

* Codec SILK para áudio de excelente qualidade sem consumo excessivo de banda.
* Suporte a vídeo High Quality (HQ)
* Suporte ao PulseAudio
* Envio de SMS (requer créditos disponívies)
* Grupos de contatos
* Labels ou Tags para melhor organização dos contatos
* Melhoramentos na janela de chat
* Melhoramentos na lista de contatos, com mensagens de humor, e ícones indicando a capacidade de vídeo

É bom ver o pessoal do Skype voltar a olhar para a comunidade Linux, no entanto é interessente que eles continuem com este movimento de forma a aproximar o client Linux dos demais clientes.” [referência: madeira.eng.br]

Fonte: brlinux

A volta dos pings da morte – agora contra roteadores da Cisco

Quem administrou redes conectadas à Internet na década passada deve lembrar de ‘ferramentas’ com nomes hoje pouco mencionados, como land, jolt, nestea, latierra e teardrop – especializadas em criar pacotes ICMP (não necessariamente ICMP PING, mas o nome acabou pegando) com as quais determinados sistemas operacionais engasgavam ou mesmo travavam e reiniciavam – alguns deles com base na saturação de links, e outros explorando falhas conhecidas nos sistemas-alvo.

As implementações de rede nos sistemas operacionais foram evoluindo, este tipo de ataque foi rareando (ou se tornando mais custoso), mas de vez em quando algum novo bug é encontrado e explorado – e dessa vez aconteceu com os roteadores Cisco – ou, como especifica o IDG Now, “a vulnerabilidade afeta todos os pontos de acesso de menor porte da Cisco, o que equivale à maioria dos aparelhos de ponto de acesso que a empresa lançou desde 2005.”

A notícia do Heise dá um pouco mais de detalhes sobre a natureza da falha, e apresenta um comando que os administradores de redes que contam com roteadores Cisco podem usar para verificar se a falha está sendo explorada neles. (via heise.de)

Saiba mais (heise.de).


Fonte: brlinux

Usuários do Linux são os que mais fazem buscas no Google

De todas as buscas dos usuários do sistema operacional aberto, 94,61% são feitas no Google. Adeptos de computadores Mac ficam em 2º lugar.

Os usuários do sistema operacional Linux são os que mais utilizam o buscador Google - 94,61% das pesquisas são feitas no mecanismo, diz estudo da rede de anúncios online Chitika.

O levantamento analisou 163,2 milhões de buscas na rede da Chitika nos Estados Unidos e Canadá, entre 30 de julho e 16 de agosto.

Os usuários do sistema operacional Mac OS X são os segundos a mais utilizarem o Google - o buscador é responsável por e 93% das pesquisas. No caso de quem usa o sistema operacional Windows, o mecanismo é usado por 78,54%.

O Yahoo é o segundo buscador mais utilizado. No caso de quem tem Windows, 10,3% das buscas são feitas ali; pelos usuários de Mac, 4,96% e, de Linux, 3,48%.

O Bing, por sua vez, praticamente só recebe atenção dos usuários de Windows (8%). A adesão é pouca dos que possuem Mac (1,13%) e menor ainda dos usuários do Linux (0,77%).

A Chitika divulga cerca de 2 bilhões de anúncios direcionados por mês em mais de 34 mil sites.


Fonte: idgnow

Grupo que defende software livre lança campanha contra o Windows 7

Free Software Foundation lançou o site “Windows7Sins.org”, onde acusa a Microsoft de invadir a privacidade e tirar direitos dos usuários. A Free Software Foundation (FSF), entidade que defende o uso de softwares de código aberto, lançou uma campanha contra o Windows 7, o próximo sistema operacional da Microsoft. No site Windows7Sins.org, a entidade diz que a Microsoft executa uma “computação traiçoeira” e sorrateiramente tira os direitos de seus usuários.

Entre os “pecados” cometidos pelo Windows 7, estão o fato de o sistema amarrar os usuários a formatos da Microsoft, a fraca segurança dos produtos, reforçar o uso de sistemas de proteção de direitos autorais, como o DRM e invasão de privacidade.

“Já faz algum tempo que o Windows se tornou uma plataforma para gerenciar direitos autorais, restringindo as cópias que os usuários podem fazer”, disse o diretor executivo da FSF. Segundo ele, se a tecnologia da Microsoft fosse implementada do jeito que a companhia gostaria, ela teria “realmente controle completo e malicioso dos computadores das pessoas”.

Procurada pela reportagem do IDG News Service, a Microsoft evitou se pronunciar sobre o assunto.

O FSF é um grupo mais conhecido por supervisionar a Licença Pública Geral, ou GPL, na sigla em inglês. Essa licença é usada pela maioria dos softwares de código aberto, incluindo o Linux.

Para protestar contra o Windows 7, a empresa vai fazer uma passeata e, no final, exibir uma instalação que representa o sistema operacional da Microsoft sendo jogado no lixo. O grupo também vai enviar uma carta para os principais executivos das empresas que estão no ranking “Fortune 500”. Eles argumentam que as empresas se beneficiariam técnica e eticamente a longo prazo trocando programas da Microsoft por alternativas de código aberto.

Fonte: idgnow

Consegi 2009

Transmissão Ao Vivo

Começa hoje, 26 de agosto, em Brasília, o Congresso Internacional Software Livre e Governo Eletrônico - Consegi 2009.

Serão três dias de intensos debates sobre plataformas livres, governo eletrônico, democratização da informação e tantos outros temas. Não fique de fora do maior evento de Tecnologia da Informação e Comunicação do Governo Federal. Acompanhe a Transmissão Ao Vivo realizada pelo serviço Assiste - Videostreaming Livre do Serpro.

Acesse a PROGRAMAÇÃO do Consegi 2009 e confira as atividades que
acontecem no Auditório Santos Dumont, Salão Nobre Michal Gartenkraut, Sala Ada Byron e Sala Almirante Alvaro Alberto, nesses espaços todos os eventos serão transmitidos.

Fonte: SERPRO

Tutorial linux Nágios - Instalando e configurando o nágios na sua rede.


Tutorial linux Nágios:


Introdução
O nágios é um e programa open source de monitoramento de rede e host de, serviço. É composto pelo serviço principal e um conjunto de plugins que o torna muito flexível, já que podem ser desenvolvidas por qualquer pessoa. O nágios possui uma interface web para o usuário para monitorar, assim como também é capaz de enviar e-mails ou mesmo mensagem de pager em caso de problemas. Há também uma extensão muito útil para o Firefox que ressalta os problemas. Site oficial do nágios é http://nagios.org/

Instalação:
Esta instalação supõem-se que existe um servidor Web Apache configurado e funcionando.


Você poderá instlar o nagios através do repositório ou baixando os fontes do site oficial.

sudo apt-get update
sudo apt-get install nagios2 nagios-plugins nagios-images

Configuração inicial

  • Esta é a configuração básica para o nagios2 rodar antes de você adicionar o seu site de testes específicos
Configurando htpasswd para acesso web.
A configuração de autenticação é feita no arquivo /etc/nagios2/apache2.conf. O padrão é htpasswd / etc/nagios2/htpasswd.users, que não existe na instalação.
cd /etc/nagios2/
sudo htpasswd -c htpasswd.users nagiosadmin
Se você quiser usar algo diferente de nagiosadmin como seu usuário, basta fazer os ajustes necessários no arquivo / etc/nagios2/cgi.cfg e mudar o usuário nagiosadmin para o seu usuário.



Isso é tudo para começar a rodar! Navegue até http://nagios_server/nagios2 e faça o login para ver seus sistemas de monitoramento. Por padrão, ele controla a máquina em que executa e a porta de entrada para a Internet.
  • Configuração adicional

  • Crie o diretorio para os seu arquivos *.cfg.
sudo mkdir /etc/nagios2/mysite
Por padrão, cria um diretório nágios / etc/nagios2/conf.d onde ele coloca alguns arquivos de configuração dos serviços que tenha detectado. Mas agora, você terá que dizer Nágios que seus arquivos de configuração estão localizados em outro caminho. Faça isso editando a seguinte linha em / etc/nagios2/nagios.cfg:
cfg_dir=/etc/nagios2/mysite
    • Agora é necessário que você crie seus próprios arquivos de configuração dentro do diretório definido. É possível usar os arquivos no diretório conf.d como modelos. Você vai precisar de:

    • contacts.cfg: define as pessoas que irão receber os alertas em caso de problema.

    • hosts.cfg: define os hosts que serão monitorados

    • hostgroups.cfg: organizar os hosts definidos no arquivo hosts.cfg em grupos (por exemplo, servidores, wireless, switches).

    • services.cfg: define os serviços que serão monitorados para cada host.

    • templates.cfg: define alguns modelos como o host genérico, serviço genérico e um monte de outros modelos personalizados.

    • timeperiods.cfg: define periodos de tempo que são válidos para verificações, notificações, etc
Observe o que tudo pode ser colocado em um único arquivo, mas é melhor dividir as coisas para tê-los organizados.



  • O exemplo a seguir pressupõem uma pequena rede com:


  • Três maquinas linux (com SSH):
    • 192.168.1.1: NAT and monitoring server.
    • 192.168.1.2: web e ftp server.
    • 192.168.1.3: mail server.



contacts.cfg
define contact{
contact_name administrator
alias Administrator Name
service_notification_period 24x7
host_notification_period 24x7
service_notification_options w,u,c,r
host_notification_options d,r
service_notification_commands notify-by-email
host_notification_commands host-notify-by-email
email administrator@domain.com
}

define contactgroup{
contactgroup_name admins
alias Nagios Administrators
members administrator
}
hosts.cfg
  • Cada máquina tem as seguintes propriedades básicas:

  • host_name: an um nome único para identificar o host.
  • alias: uma breve descrição.
  • address: Endereco ip ou nome da maquina.
  • parents: uma lista separada por onde as maquinas estão.



  • use: Nome do template a ser usado.
# To ping an external, always on line server is useful to check if the internet link is OK.
define host{
host_name google
alias Internet Connection
address www.google.com
use generic-host
}

define host{
host_name mywangateway
alias ISP Gateway
address 190.2.53.193
parents google
use generic-host
}

define host{
host_name mylangateway
alias My LAN Internet Gateway
address 192.168.1.1
parents mywangateway
use generic-host
}

define host{
host_name webserver
alias Web Server
address 192.168.1.2
parents mylangateway
use generic-host
}

define host{
host_name mailserver
alias Mail Server
address 192.168.1.3
parents mylangateway
use generic-host
}
hostgroups.cfg
# A simple wildcard hostgroup
define hostgroup {
hostgroup_name all
alias All Servers
members *
}

# A list of your servers
define hostgroup {
hostgroup_name servers
alias Servers
members mylangateway, webserver, mailserver
}

# A list of your web servers
define hostgroup {
hostgroup_name http-servers
alias HTTP servers
members mylangateway, webserver
}

# A list of your ssh-accessible servers
define hostgroup {
hostgroup_name ssh-servers
alias SSH servers
members mylangateway, webserver, mailserver
}

define hostgroup {
hostgroup_name ping-servers
alias Pingable servers
members google, mywangateway, mylangateway, webserver, mailserver
}






services.cfg
Cada serviço tem as seguintes propriedades básicas:
  • host_name: o host que executa o serviço.

  • hostgroup_name: em vez de 'hostname isso poderia ser usado com o nome de um grupo. Neste caso, todas as máquinas dentro do grupo que será verificado..
service_description: uma breve descrição
check_command: o comando para executar a fim de verificar o serviço. Cada comando vai precisar de um plugin disponível (eles estão localizados em / usr / lib / nagios / plugins).

  • use: o nome do modelo a ser usado.
  • notification_interval: um período de tempo para voltar a enviar uma mudança no estado anfitriões. Se definido como 0 Nagios irá notificar apenas uma vez
Para adicionar novos serviços que você pode utilizar o diretório / usr / lib / nagios / plugins (ou seja qual for o diretório de plugins instalado) e procure o plugin desejado. Se não houver nenhum disponível, você pode sempre procurar na rede. Um ótimo lugar para começar sua busca é o site oficial do projeto em http://nagiosplugins.org. Depois de ter o plugin você precisa executá-lo com - help como parâmetro para ver quais opções que podem ser utilizadas com o comando. O exemplo dá-lhe alguns serviços básicos. Note que cada parâmetro para o comando é separado do outro com um ponto de exclamação.



## Hostgroups services ##

# Check that web services are running
define service {
hostgroup_name http-servers
service_description HTTP
check_command check_http
use generic-service
notification_interval 0
}

# Check that ssh services are running
define service {
hostgroup_name ssh-servers
service_description SSH
check_command check_ssh
use generic-service
notification_interval 0
}

# Check that ping-only hosts are up
define service {
hostgroup_name ping-servers
service_description PING
check_command check_ping!100.0,20%!500.0,60%
use generic-service
notification_interval 0
}

## Individual hosts services ##

# To show how to monitor a service in a single host, the ftp service and the mail service are written for each individual host.
define service {
hostgroup_name webserver ; remember that this host is also an ftp server.
service_description FTP
check_command check_ftp
use generic-service
notification_interval 0
}

# Services for the mail server (check: pop, imap, pops, imaps and smtp).
define service {
hostgroup_name mailserver
service_description POP
check_command check_pop
use generic-service
notification_interval 0
}

define service {
hostgroup_name mailserver
service_description IMAP
check_command check_imap
use generic-service
notification_interval 0
}

define service {
hostgroup_name mailserver
service_description Secure POP
check_command check_spop
use generic-service
notification_interval 0
}

define service {
hostgroup_name mailserver
service_description Secure IMAP
check_command check_simap
use generic-service
notification_interval 0
}

define service {
hostgroup_name mailserver
service_description SMTP
check_command check_smtp
use generic-service
notification_interval 0
}


templates.cfg
Na instalação padrão, você irá encontrar arquivos com o nome genérico de host_nagios2.cfg, genéricos service_nagios2.cfg e pode haver outros. Apenas cópie e cole no diretório / etc/nagios2/mysite que ele irá funcionar. De qualquer forma, prefiro colocar as definições de cada um deles em um único arquivo chamado templates.cfg, mas isso é uma preferência pessoal.


timeperiods.cfg
A configuração padrão está OK, então basta copiar e colar a partir de /etc/nagios2/conf.d/timeperiods_nagios2.cfg para /etc/nagios2/mysite/timeperiods.cfg.
Testando a nova configuração:
  • Reinicie o serviço do Nagios: / etc/init.d/nagios2 reiniciar
    Em seu navegador: http://nagios_server/nagios2
    Se houver algum erro de configuração do Nagios irá dizer-lhe onde é quando você tenta reiniciar o serviço.
Siga o @def_linux no twitter e fique por dentro dos nossos tutoriais, dicas e promoções.

Veja mais notícias Linux tutoriais do blog aqui.

Defendendo o o linux, blog  o linux  na veia.

Ktorrent Tutorial linux - Ktorrent o cliente torrent para linux.

KTorrent é um cliente de torrent completo com os seguintes destaques:

  • Busca de Torrents
  • Encriptação
  • Priorização e agendamento de downloads


Intalando no debian e no ubuntu.

Ative o repositório "dapper-backports", no ubuntu com o comando:

sudo kate /etc/apt/sources.list

Tire o # para descomentar a linha que contém a palavra "dapper-backports".

Atualize a lista de pacotes:

sudo apt-get update

Instale com o comando abaixo:

sudo apt-get install ktorrent


Interface





Baixando um torrent


Clique no campo do lado direito escolha o arquivo a ser baixado e o enginer:





Clique no pacote e escolhar baixar ou salvar bara salvar arquivo torrent no hd:




OBS: caso escolha baixar o arquivo torrent, por exemplo uma iso do linux será necessario escolher a opção abrir, para abrir o arquivo.

Após abrir o arquivo o download será iniciado.







Pidgin 2.6 com suporte a áudio e vídeo

Tem versões pré-compiladas prontas pra instalar via GetDeb, para quem usa sistemas compatíveis – e o áudio/vídeo compatíveis com Gtalk não são as únicas novidades.

“Finalmente, a nova versão (2.6.1) do mensageiro instantâneo Pidgin traz suporte para áudio e vídeo compatíveis com o Google Talk.

É uma funcionalidade pedida por muitos usuários há muito tempo que acaba de ser liberada!” [referência: lifehacker.com]


Fonte: brlinux

Evolução das telas de inicialização no Mandriva Linux desde o final do século XX

“Tradução direta do texto, super interessante, escrito sobre a evolução do boot no Mandrake/Mandriva: “Há algum tempo venho trabalhando na adição de suporte ao Plymouth como inicialização gráfica para o futuro Mandriva Linux 2010 e achei interessante relembrar todas as soluções desse tipo que usamos ao passar dos anos.

Mandriva Linux (então Linux-Mandrake) foi uma das primeiras distribuições Linux a lançar com uma inicialização gráfica: » Em 2000 (sim, 9 anos atrás), para o Linux-Mandrake 7.2 nós integramos o Aurora (escrito por Egil Möller que havia entrado na Mandrakesoft para trabalhar com isso naquela época), que permitia aos usuários controlarem e seguir a inicialização com o teclado e mouse antes que o X estivesse iniciado(…)”” [referência: warever.info]


Fonte: brlinux

linux security-8 anos de Linux kernel vulnerável

É o fim do Mundo, diz o pessoal do OSNews. De acordo com alguns desenvolvedores Linux e pesquisadores em segurança, um bug no Linux kernel acaba de ser descoberto e torna quase todas as distribuições utilizando kernel 2.4 e 2.6 em praticamente todas as arquiteturas desde maio de 2001 vulnerável a um certo tipo de ataque.


Já existe um patch disponível: http://git.kernel.org/?p=linux[...]c50148389b0e9b9e9e8945cf0f1b98
Detalhes sobre o bug: http://blog.cr0.org/2009/08/li[...]ointer-dereference-due-to.html

Mais no slashdot: http://linux.slashdot.org/stor[...]-On-All-Linux-Kernels?from=rss

E no osnews: http://www.osnews.com/story/21[...]ars_of_Linux_Kernel_Vulnerable

Fonte: noticias linux


Exploit para Wordpress permite resetar senha de administrador

Uma nova vulnerabilidade no Wordpress 2.8.3 permite a um atacante bloquear a conta de administrador ao resetar sua senha de acesso. O bug pode ser explorado de forma trivial através de um navegador web mediante uma URL manipulada. Normalmente, pedidos para resetar a senha são gerenciados através de um endereço de e-mail. Usando esta URL mal formada se gera uma nova senha sem nenhum tipo de confirmação, deixando o administrador sem acesso. Já se encontra disponível a versão 2.8.4 do Wordpress para corrigir este problema.


http://wordpress.org/wordpress-2.8.4.zip
Fonte: noticias linux


Presidente diz que vai ao Consegi 2009 em Brasília

“O presidente da República participará da abertura oficial do Congresso Internacional Software Livre e Governo Eletrônico – Consegi 2009, a ser realizada no dia 26 de agosto, às 17h30, no auditório principal da Esaf, em Brasília.

Ao longo de seu governo, o presidente demonstrou total apoio ao movimento Software Livre – SL, tanto que, atualmente, o uso de plataformas abertas no desenvolvimento de soluções para e-Gov é uma orientação do governo federal.

Em 2003, o presidente instituiu o Comitê Técnico de Implementação do Software Livre – CISL, no âmbito do Comitê Executivo do Governo Eletrônico. O CISL, desde então, atua na sensibilização, treinamento, difusão e promoção do SL na Administração Pública. O Comitê já tem a autorização do presidente para trilhar a construção de uma política pública para o Software Livre no Brasil, o que representa a intervenção do Estado para a mudança de direção da informática pública brasileira e para a consolidação do trabalho cooperado, do compartilhamento e do incentivo à inteligência nacional.” [referência: softwarelivre.gov.br]

Governo federal terá Comunidade de Colaboração PloneGov-BR

“Com o intuito de estabelecer um canal de colaboração entre instituições que fazem uso, desenvolvem e incentivam a tecnologia Zope/Plone e o Software Livre é que técnicos de órgãos federais lançam esta iniciativa.

“Queremos fomentar a criação de uma rede de profissionais que trabalham com essas tecnologias, trocar experiências, auxiliar instituições que estejam iniciando a implantação em suas unidades, compartilhar conhecimento”, defende Cintia Cinquini, da Presidência da República.

A Comunidade PloneGov-BR é composta pelo Serpro, Ministério do Planejamento, Interlegis, Câmara dos Deputados, EBC, Correios e Presidência da República. Cintia explica que a expectativa é aumentar o número de parceiros para dar mais força à rede e ressalta que o convite para integrar o grupo é aberto a todas as instituições e profissionais que trabalham com a tecnologia.

A Comunidade é um espaço de discussão, apoio e treinamento, que dá às instituições parceiras mais agilidade no trabalho com a ferramenta, cooperação em torno das soluções e máxima extração de capacidade técnica. A Comunidade PloneGov-BR funcionará como um fórum institucionalizado para o debate dos diversos atores públicos, com o objetivo de somar esforços para um mesmo resultado, “dessa forma é possível executar mais em menos tempo e com mais qualidade”, afirma Cinquini.

Atuar nos vários segmentos de governo, conhecer e reunir instituições que já utilizam ou demonstrem interesse na ferramenta, para estabelecer os elos dessa rede é um dos primeiros desafios da Comunidade, que acredita nos encontros técnicos e um agenda de trabalho para aquecer e movimentar a nova rede. “Entendemos que uma iniciativa como esta reforça as práticas de colaboração no governo e também o uso de softwares livres”, analisa Jean Ferri, do Interlegis.

A expectativa de aumentar a colaboração tecnológica entre as instituições governamentais como alternativa para a economia de recursos públicos, melhoria nas soluções de TI e difusão das plataformas abertas e livres é uma das premissas do Comitê Técnico de Implementação de Software Livre – CISL.

Mais informações: http://colab.interlegis.gov.br/wiki/PloneGovBr” [referência: softwarelivre.gov.br]

Nota fiscal eletrônica em PHP e código aberto: NFePHP

“Muitos projetos para nota fiscal eletrônica estão surgindo. E para quem procura uma solução em PHP, em junho deste ano uma comunidade de desenvolvedores iniciou o NFePHP – Nota fiscal eletrônica em PHP. Assim como os demais projetos, o NFePHP é open source e já possui as principais funções, como a assinatura do XML, envio das notas em lotes por web services e geração da DANFE.

O projeto está num estágio avançado, e conta com novos colaboradores para sua conclusão. Os interessados podem conhecê-lo em: http://www.assembla.com/wiki/show/nfephp

O destaque está em sua assinatura de notas XML, onde utiliza bibliotecas próprias que dispensam o uso de outros programas, como o ‘Assinador’ disponibilizado pela SEFAZ. Novos colaboradores são bem vindos! Bom proveito!” [referência: assembla.com]

Mozilla libera primeira versão prévia do browser Firefox 3.6

Atualização do navegador para desenvolvedores terá versão final em novembro, incluindo suporte para funcionalidade 'Aero' do novo Windows 7.

A Fundação Mozilla lançou a primeira prévia do navegador de código aberto Firefox 3.6 - versão alpha 1 - para desenvolvedores e testes, na sexta-feira (7/8).

Apelidado de "Namoroka" - nome de um parque na ilha de Madagascar - o Firefox 3.6 é uma pequena atualização do Firefox 3.5 lançado no final de junho e terá sua versão final em novembro deste ano. Ele servirá como um intermediário para o Firefox 3.7, previsto para 2010, informou a Mozilla.

De acordo com a organização, o primeiro alpha do Firefox 3.6 inclui melhorias na velocidade do componente TraceMonkey JavaScript e em tarefas comuns como abrir novas janelas dentro do navegador e carregar páginas marcadas nos favoritos.

A Mozilla também pretende adaptar o comportamento do browser com base no histórico de navegação do usuário, adicionar a função de busca para uma aba já existente e melhorar as funcionalidades de download do navegador.

Após o lançamento do alpha, a Mozilla deve liberar a primeira versão beta do Firefox 3.6 em setembro e um segundo beta em meados de outubro, antes da versão final em novembro.

O Firefox 3.6 também vai oferecer suporte ao novo sistema operacional da Microsoft, o Windows 7, incluindo a função "Aero Peek", que torna as janelas do sistema transparentes para que o usuário visualize a área do desktop.

A versão alpha 1 do Firefox 3.6 pode ser baixada no site da Mozilla para desenvolvedores e é compatível com os sistemas Windows, Mac e Linux.


Fonte: idgnow

Novo beta do Google Chrome é mais veloz e traz novos recursos

Navegador é até 23% mais rápido que seu antecessor, apontam testes. Google melhora página inicial, suporte a HTML 5 e implementa fundos.

O Google lançou na quarta-feira (5/8) o novo beta do seu navegador Chrome. A promessa de um post no blog oficial é que a versão 3.0.195.4 é mais veloz e possui mais recursos.

Entre eles está a nova página inicial de abas, onde o Chrome mostra miniaturas dos sites mais visitados. Agora, os usuários podem reorganizar as imagens segundo sua preferência.

Além disso, ainda nesta página, os usuários podem escolher um site que não sumirá porque ele visitou vários outros na mesma semana. As novidades permitem que o usuário escolha o que deseja ver no local, indo além das sugestões do algoritmo do navegador.

A barra de endereços mudou de layout e possui pequenos ícones que mostram se um resultado sugerido vem da internet, do histórico de navegação ou dos favoritos do internauta.

O novo beta do Chrome ainda implementa suporte para temas a serem usados como 'papel de parede' do navegador, por meio da Themes Gallery. A versão melhora ainda o suporte à linguagem de navegação HTML 5, incluindo funcionalidades de tags para vídeos.

Quanto ao desempenho, foram testados o beta atual e o Chrome 2.0.172.39 - versão anterior -, ambos em um PC com chip Core i7 920.

Os testes mostram, com o programa V8, que avalia a performance JavaScript (do próprio Google), que a velocidade da ferramenta é 23% maior. Já com o teste SunSpider, a performance é 20% mais rápida. O Google prometeu, no post, desempenho 30% melhor.

O Linux -Compartilhe sua conexão pelo Linux LiveCD Router

“Que tal compartilhar sua conexão a internet (ADSL, Cable Modem, USB 3G Cards, T1, Dial-Up, WiFi) com balanceamento de carga multi-ISP (2 links) e muitos outros recursos a partir de um 486 com 32 MB, CD-ROM (ou USB Flash Disk), 1 ou mais NICs e sem HD?
Bem, ao menos é o que promete o Linux LiveCD Router, um liveCD (ou liveUSB) de apenas 90 MB com todas ferramentas necessárias e especificas a essa tarefa.”
Fonte: mentelivrebrasil.org

KDE 4.3 Lançado – Codinome: Caizen

“Com 10.000 bugs consertados, e com a requisição de cerca de 6.000 novas funcionalidades nos últimos 6 meses, é anunciado o lançamento do novo KDE 4.3, com um foco em estabilidade.

Cerca de 63.000 alterações foram efetuadas, e podemos lembrar que a um tempo atrás o KDE atingiu 1000000 commits.

O anúncio de lançamento poder ser lido através da URL: http://kde.org/announcements/4.3/, que possui um vídeo demonstrando o novo desktop que possui o tema chamado “Air” como o padrão deste gerenciador de janelas, e através do link http://techbase.kde.org/Schedules/KDE4/4.3_Feature_Plan podem ser vistas algumas das funcionalidades implementadas, ou o andamento/status das que foram selecionadas mas não estão concluídas.”

Fonte: lwn.net

Mozilla corrige três falhas no Firefox

Problemas no Firefox 3.0.13 permitem roubo de senha e falha na versão 3.5.2 é de baixo risco. A Mozilla anunciou a correção de três falhas de segurança nos navegadores Firefox 3.5 e Firefox 3.0, nesta terça-feira (4/8).

Entre as correções, duas são destinadas à versão 3.0.13, que terá seu suporte descontinuado em janeiro de 2010, e uma para a versão 3.5.2 do navegador de código aberto.

As falhas no Firefox 3.0.13 foram reveladas na última quinta-feira (30/7) pelo consultor de segurança da empresa IOActive, Dan Kaminsky, durante a conferência Black Hat, em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Na versão 3.0, a vulnerabilidade no protocolo padrão de criptografia de dados do Firefox, o Secure Socket Layer (SSL) pode ser explorada por invasores permitindo o roubo de senhas ou que o internauta aceite um software malicioso que pode vasculhar sua máquina.

Já o Firefox 3.5.2 ganhou uma correção para um problema de resposta do browser e relativo ao proxy SOCKS5, que a Mozilla classificou como uma ameaça de baixo nível.

O mesmo problema já havia sido corrigido no Firefox 3.0.12, em um pacote de correções liberado pela Mozilla em 21 de julho. Ainda não está claro se a organização se esqueceu de fazer o mesmo com a versão 3.5.1 do navegador. A Mozilla não se pronunciou a respeito.

De acordo com a empresa de análise de dados online, Net Applications, o Firefox registrou 22,5% de participação mundial no segmento de navegadores em julho, sendo que três em cada quatro usuários do browser continuam navegando pela versão 3.0, não pelo Firefox 3.5.

As versões atualizadas do Firefox (3.5.2 e 3.0.13) podem ser baixadas para os sistemas operacionais Windows, Mac OS X e Linux, mas os usuários podem acessar a área de atualizações do navegador ou esperar pela correção automática nas próximas 48 horas.

Fonte: idgnow

Mercado de código aberto crescerá 22,4% anualmente até 2013

Consultoria IDC diz que segmento alcançará receita de US$ 8,1 bilhões em quatro anos, pois sistemas registram maior aceitação entre empresas.

O mercado global de programas de código aberto - sistemas que podem ser modificados por qualquer desenvolvedor - crescerá a uma taxa anual de 22,4% até 2013, quando a receita do segmento deve alcançar 8,1 bilhões de dólares, aponta estudo da consultoria norte-americana IDC, divulgado na sexta-feira (31/7).

O otimismo em relação a este mercado, segundo a empresa, se deve ao fato de os softwares de código aberto terem tido uma aceitação muito maior entre as grandes companhias nos últimos 12 meses. Além disso, a melhora no cenário econômico acelerou a adoção desse tipo de sistema.

De acordo com o vice-presidente do grupo de soluções corporativas da IDC, Michael Fauscette, o mercado de sistemas de código aberto deu um grande salto durante a crise econômica mundial. O executivo afirma que este tipo de software, atualmente, é visto como estratégico para as empresas.

Tendo em vista que a indústria de tecnologia da informação continua se consolidando, é importante que os fornecedores de softwares de código aberto, diz Fauscette, ganhem escala. Segundo o executivo, grandes empresas que atuam no setor de software e serviços, como IBM, Sun, Dell, HP e Oracle, estão obtendo um bom faturamento oferecendo suporte e sistemas de código aberto.

O modelo híbrido, que mescla código aberto com softwares proprietários, segundo a IDC, deve prevalecer no mercado, com a adição do conceito de software como serviço, em que o cliente paga apenas pelo uso do sistema e a infraestrutura de hardware fica a cargo do fornecedor.

Fonte: idgnow