Estudo nega impactos negativos da cópia não-autorizada de filmes


Um estudo conduzido por representantes do ThePirateBay nos Estados Unidos está contestando os números da MPAA. A MPAA (associação que reúne estúdios de cinema e música dos Estados Unidos) divulga, trimestralmente, balanços apontando quanto a indústria supostamente deixou de faturar, o governo deixou de arrecadar e quantos empregos deixaram de ser gerados em função da pirataria.

Segundo análise do ThePirateBay, popular serviço de torrent, os cálculos da MPAA são fortemente equivocados e partem do princípio de que cada cópia de DVD vendida nas ruas ou cada arquivo queimado no num CD (mesmo que para uso individual) deveria equivaler a uma venda no varejo, caso não existisse pirataria.

O ThePirateBay argumenta que o usuário que baixa um arquivo não é necessariamente alguém que compraria aquele filme ou música no varejo se não existissem serviços de torrent. O estudo mostra ainda a evolução positiva do faturamento dos estúdios de cinema nos Estados Unidos e o bom desempenho da venda de ingressos no país para contestar a MPAA.

Saiba mais (info.abril.com.br).

Nenhum comentário: